Baixe nosso App Gratuito

Agito Cultural Zona Norte
Powered by Conduit Mobile

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Vaticano lança calendário com padres jovens - O que vocês acharam?

Vaticano lança calendário com padres jovens

Vaticano lançou um calendário com fotos de 12 jovens padres. A Igreja alerta que o objetivo é levar informações sobre a Santa Sé à população e não instigar desejos pecaminosos.
As fotos estão gerando opiniões diversas: alguns condenam a atitude do Vaticano, enquanto outros apoiam.
Contudo, as fotografias não são novidade. O Vaticano já publica imagens do gênero desde 2003.
O que vocês acharam?

Confira: http://www.calendarioromano.org./

Fonte:http://wp.clicrbs.com.br/

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Pink Floyd - Us and Them

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

RIO TIETÊ TAMBÉM PODE SER ASSIM - DEPENDE DA POPULAÇÃO, JÁ QUE O GOVERNO NÃO PONHE OS RIOS COMO PRIORIDADE DE PLANEJAMENTO

 27 DE DEZEMBRO DE 2013 – Fonte: http://outraspalavras.net/outrasmidias/
Contaminação que marcou era industrial começou a ser revertida no século 20. Seul, recordista, limpou seu rio em apenas quatro anos
O crescimento desordenado das cidades, somado ao descaso do poder público e à falta de consciência da população, fazem com que boa parte dos rios urbanos do Brasil mais pareçam a extensão das lixeiras. A falta de tratamento de esgoto e o descarte de poluentes industriais são os grandes vilões para esse quadro.
Atualmente, os 500 maiores rios do planeta enfrentam problemas com a poluição, segundo dados da Comissão Mundial de Águas. Contudo, diversas cidades conseguiram transformar seus rios mortos em belos retratos de cartão-postal, como Paris e Londres, integrando-os à sua vida econômica e social. Eis alguns exemplos que podem inspirar as autoridades brasileiras para que alcancemos os mesmos resultados.
Sena pode estar 100% despoluído em 2015 (Foto: Danielle Meira dos Reis)
1. Rio Sena, Paris (França)
O Sena, em Paris, foi degradado por conta da poluição industrial, situação comum a outros rios europeus. Neste caso, porém houve um agravante: o recebimento de esgoto doméstico.
Por conta de seu estado lastimável, desde a década de 1920 o Sena é alvo de preocupações ambientais. Mas foi apenas em 1960 que os franceses passaram a investir na revitalização do local construindo estações de tratamento de esgoto. Hoje já existem 30 espécies de peixes no rio, mas o processo para que isso acontecesse foi lento.
No começo, havia apenas 11 estações em funcionamento. Em 2008 já eram duas mil, mas a meta é que em 2015 o rio já esteja 100% despoluído. Como parte do processo de tratamento de esgoto, o governo criou leis que multam fábricas e empresas que despejarem substâncias nas águas. Além disso, há um incentivo entre 100 e 150 euros por hectare para que agricultores que vivem às margens do rio não o poluam.
Tâmisa era conhecido antes como o “Grande fedor” (Foto: Wikimedia Commons)
2. Rio Tâmisa, Londres (Reino Unido)
O Tâmisa tem quase 350 km de extensão e um longo histórico de poluição. As águas deixaram de ser consideradas potáveis ainda em 1610, por conta da falta de saneamento básico da Inglaterra. Ocorriam até mesmo mortes por cólera. Em 1858, no entanto, reuniões parlamentares precisaram ser suspensas por conta do mau cheiro das águas, o que levou os governantes a resgatar a vida do rio apelidado como “Grande fedor”.
Na época foi colocado em prática uma alternativa sem êxito, já que o sistema que coletava o esgoto despejava os dejetos recolhidos no rio a certa distância abaixo da cidade. Apenas entre 1964 e 1984 novas ações de revitalização surtiram efeito. Foram criadas duas estações de tratamento de esgoto com investimentos de 200 milhões de libras. Quinze anos depois, um incinerador passou a dar destino aos sedimentos vindos do tratamento das águas, gerando energia para as duas estações. Fora isso, hoje dois barcos percorrem o Tâmisa de segunda a sexta e retiram 30 toneladas de lixo por dia.
Famoso rio de Lisboa teve investimento de 800 milhões de euros (Foto: Wikimedia Commons)
3. Rio Tejo, Lisboa (Portugal)
Para despoluir o famoso rio de Lisboa foram investidos 800 milhões de euros. A revitalização, que se encerrou em 2012, incluiu obras de saneamento e renovação da rede de distribuição de águas e esgotos, visto que os dejetos eram depositados diretamente nas águas do rio. Foram beneficiados com o projeto 3,6 milhões de habitantes.
O Tejo é o maior rio da Europa ocidental e passou a ser despoluído com a criação da Reserva Natural do Estuário do Tejo, em 2000. O plano envolveu a construção de infraestrutura de saneamento de águas residuais e renovação de condutas de abastecimento de água. Hoje, até golfinhos voltaram a saltar nas águas do rio europeu.
4. Rio Cheonggyecheon, Seul (Coreia do Sul)
Os 5,8 km do rio que corta metrópole foram revitalizados em apenas quatro anos (Foto: longzijun)

Pode parecer mentira, mas os 5,8 km do rio que corta a grande metrópole de Seul foram totalmente revitalizados em apenas quatro anos. Hoje ele conta com cascatas, fontes, peixes e é ponto de encontro de crianças e jovens.
Seu renascimento começou em julho de 2003, quando o governo da cidade implodiu um enorme viaduto (com cerca de 620 mil toneladas de concreto) que ficava sobre o rio e começou, em paralelo, um grande projeto de nova política de transporte público e construiu diversos parques lineares, ampliando a quantidade de áreas verdes nas ruas para uma cidade sustentável. Todo o processo teve um investimento de 370 milhões de dólares.
Com as melhorias ambientais, a temperatura em Seul diminuiu 3,6°C, além de haver melhorias econômicas para a cidade. O rio sul-coreano era responsável pela drenagem das águas da metrópole com mais de 10 milhões de habitantes quando seu leito se tornou poluído. Hoje, as águas que correm por lá são bombeadas do Rio Han, outro que passou pelo processo de despoluição.
O Han também passou por mudanças e hoje já tem algumas espécies de peixe (Foto: Divulgação)
5. Rio Han, Seul (Coreia do Sul)
Formado pela confluência dos rios Namhan e Bukhan, ele passa por Seul e se junta ao rio Imjin, que em seguida deságua no Mar Amarelo. Com 514 km de extensão, sendo 320 navegáveis, o rio sempre teve papel fundamental para o desenvolvimento da região, visto que era fonte para a agricultura e o comércio, além de ajudar na atividade industrial e na geração de energia elétrica.
No entanto, o Rio Han sofreu grande degradação durante a Segunda Gerra Mundial e Guerra da Coreia, além de receber o despejo de esgoto.
Mas, em 1998, com o plano de Desenvolvimento e Implementação de Gestão da Qualidade da Água, o local mudou o seu destino. Com a revitalização do rio Cheonggyecheon, o Han também passou por mudanças e hoje é considerado limpo e já tem algumas espécies de peixe. O governo tem em prática, inclusive, o projeto Han Renaissance, que tem por objetivo revitalizar 12 parques à beira do rio.
Governos das cidades banhadas pelo Reno criaram Programa de Ação em 1987 (Foto: Vladimir Rys/Getty Images)
6. Rio Reno, várias cidades da Europa
Com cerca de 1,3 mil km de extensão, o rio nasce nos Alpes Suíços e banha seis países europeus até desaguar no Mar do Norte, na Holanda. Durante muitos anos recebeu dejetos de zonas industrias, o que o levou a ser conhecido, em 1970, como a cloaca a céu aberto da Europa.
Um dos principais casos de contaminação aconteceu em 1986, quando 20 toneladas de substâncias altamente tóxicas foram despejadas no rio por uma empresa suíça. Com o ocorrido, o governos das cidades banhadas pelo Reno se reuniram e criaram o Programa de Ação para o Reno em 1987, investindo mais de 15 bilhões de dólares em sua recuperação, que contou com a construção de estações de tratamento de água monitorado. O resultado são 95% dos esgotos das empresas tratados e a existência de 63 espécies de peixes vivendo por ali hoje.
Cleveland investiu U$ 3,5 bi para purificar água do Cuyahoga e seus sistemas de esgoto (Foto: Cuyahoga jco)
7. Rio Cuyahoga, Cleveland (Estados Unidos)
Localizado no estado de Ohio, ele conta com 160 km de extensão, passando pelo Parque Nacional do Vale Cuyahoga e desaguando no Lago Eire. Hoje ele é parte fundamental do ecossistema da região, sendo lar e fonte de sustento de diversos animais. No entanto, a história era bem diferente em um passado não muito distante.
Devido à atividade industrial maciça e o esgoto residencial da região entre Akron e Cleveland, o rio era bastante poluído. Para piorar a situação, em junho de 1969, uma mancha de óleo e outros produtos químicos incendiaram o rio. Por conta desses fatores, em 1970 foi assinado o Ato Nacional de Proteção Ambiental, que viabilizou a criação do Ato Água Limpa, em 1972, estipulando que todos os rios do país deveriam ser apropriados para a vida aquática e para o lazer humano.
Assim, Cleveland investiu mais de 3,5 bilhões de dólares para a purificação da água do Cuyahoga e dos seus sistemas de esgoto. E a previsão é de investir mais 5 bilhões nos próximos 30 anos para manter o bom estado de suas águas.
Galerias pluviais foram reconstruídas nos Canais de Copenhague Foto: Pramzan45/Wikimedia Commons
8. Canais de Copenhague (Dinamarca)
Provavelmente você conhece a capital dinamarquesa por ser referência no assunto meio ambiente. Hoje ela possui uma meta muito clara: quer chegar em 2025 como a capital a primeira capital do mundo a neutralizar suas emissões de carbono.
Mas nem sempre foi assim. Antes os canos que levavam a água da chuva para os rios e canais muitas vezes se misturavam com a rede de esgoto, transportando os dejetos para as águas. Além disso, o entorno do rio era uma área industrial, o que fazia com que boa parte do lixo da região fosse para os canais e rios.
Em 1991, no entanto, surgiu o plano de despoluição das águas e a remoção da área industrial ao redor do rio. Assim, as galerias pluviais foram reconstruídas, os reservatórios de água foram estabelecidos em pontos estratégicos da cidade para que a água da chuva se armazenasse em caso de tempestade e o encanamento dos esgotos foi melhorado. O lixo, por sua vez, passou a ser reciclado e incinerado.

Hoje os habitantes e turistas podem, até, tomar banho nas piscinas públicas artificiais criadas pelo governo.

Rio Tietê, São Paulo - Foto: Divulgação
FOTO: divulgação
Pegue seu cartaz " Eu quero o Rio Tietê limpo!", fotografe e mande para nosso e-mail: contatoagitoculturalzn@gmail.com
QUE POSTAREMOS EM NOSSA FAN PAGE:

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

O Livro Volta ao Mundo, é uma aula magna do ser artista nesse nosso Brasil e aos amantes livres

O Livro Volta ao Mundo, é uma aula magna do ser artista nesse nosso Brasil  e aos  amantes livres



Devorei o livro na noite do dia 23.12, enquanto esperava a madruga inteira pelo ônibus que viajaria pela minha particular volta ao mundo.  Ler este livro neste momento de minha vida é definitivamente provocador e inspirador. Anselmo chega ser generoso a ponto de nos presentear com essa aula magna e nos ensina com sua própria trajetória de amante livre e sua vida de artista.
Na dedicatória do livro para mim ele escreveu: “que seja uma oportunidade de me conhecer”, até aquele momento conhecia o Anselmo generoso que sendo padrinho do Agito Cultural Zona Norte em sua primeira edição, olhos dentro dos meus olhos e disse "fazer arte é isso", Anselmo você não tem ideia do quanto você me ensinou e você dentro de sua simplicidade foi tão grandioso.
Eu me sinto um aprendiz, como o jovem do livro “cartas ao um jovem poeta’”. Nossos papos rendem tanta inspiração mestre.
Nelson Rodrigues, “já dizia: ‘ Se todo homem bem soubesse, já nascia depois dos 30” há um sentido nesta afirmação do Nelson.
Li seu livro nos mais diversos lugares, trens, metrôs, ônibus, caminhando em meio ao minhocão procurando o francês maluco e fotografo e agora finalizo ele esperando o ônibus no terminal tietê para viajar para encontrar as mulheres da minha vida.
Fui para Salvador com você e a Lara, filmei e senti o calor fumegante das filmagens de Eloísa em Paraty, me apaixonado pela Lara, por você e pelos cabeludos esguios fumando maconha e contemplando a farra da terra com o sol, pegando onda e fazendo contracultura, underground
me deu uma vontadinha de ir morar em Santa e ter vivido nesse momento ....
Lamento a falta de pelo menos ter aqui em São Paulo 6 pessoas (artistas) que possamos viver com a arte e o lúdico assim. Lamento a falta de sentir essa vibração hoje com os meus que convivo se intitulando artistas e vejo apenas cascas querendo ir trabalhar na Globo e não por ser um ideal artístico e querer fazer algo incrível mas apenas sonhando com um salario e capas de revistas e isso me deixa enfadado as vezes, quero por exemplo dizer sou bem sucedido com a minha vida de artista pago minhas contas só com a minha arte e se precisar para viver assim fazer algo na Globo ou qualquer outra emissora farei com muito orgulho e com muito esmero e sedento em aprender coisas novas e humildemente irei aprender mas se eu for um dia gravar em emissoras seja o que for quero fazer isso pelo encantamento de trabalhar com grandes homens e mulheres que vivem de arte e da indústria da televisão para eu aprender algo e fazermos algo poético, lírico, por exemplo sou alucinado em conhecer pelo menos a Fernanda Montenegro, ouvir o Manoel Carlos em uma reunião de trabalho enfim ...mas não estou interessado apenas e tão somente nas capas de revistas ou um salario da Globo...longe disso quero reverberar arte e poesia em tudo que vejo e faço e lendo você e a descrição da turma que você viveu sinto que havia isso também a grana ela é preciso sim mas não é o foco, ideologia sem ela não da pra viver! eu creio nisso. Acho que estou fadado como todo romântico a morrer louco
Ruminei as coisas que li no livro até hoje para por as ideias costuradas de uma forma lógica e poética, junto com as sensações que me aflorou a leitura, o livro remonta com uma ótica peculiar e pessoal a história do cinema brasileiro, da televisão e do teatro no eixo Rio x São Paulo, com o fundo de pano a história política dessa nossa colônia chamada Brasilis tudo isso sendo costurada pela história do casal. Certamente o livro é um legado para essa geração de artistas e de tantas outras que ainda chegarão. ele deve ser leitura obrigatória para os aspirantes a sétima arte, aos da arte dos palcos.
Esse é o sentimento que tenho após devorar o livro do momento das gravações em Paraty com a Heloisa até o final dele, da noite do dia 23 para o dia 24 só parei as 5 da manhã porque não tinha mais páginas para lê fiquei com vontade de lê a parte II do livro.  A história da mãe das crianças a morena das cartas de tarô.
Quando estava lendo no minhocão a procura do Swann,  vocês estavam na região dos lagos com uma turma que tomaram chá foram para o mar, esse trecho é de uma poesia tão intensa que me perguntei porque ainda não tomei chá e fui navegar no mar.

Hoje posso dizer  além de conhecer o Anselmo,  ator da Globo, artista generoso. posso afirmar  que conheço um Anselmo grandioso e um grandioso ainda generoso... um artista que durante décadas faz de sua arte seu oficio.  Como nunca eu o admiro mais e me orgulho de tê-lo perto e dizer que somos amigos. Obrigado por ter escrito o livro e me deixar conhecer-te um pouco mais.
Disse a ti que adotarei depois do livro o seu “Gracias”, não estou querendo ser obrigado a nada

A escola Martins Pena e o casarão de Santa possuem um envolvimento com todo o texto sempre voltam e remontam a partir deles algo na trama textual a passagem do tempo com o crescimento da arvore é interessante a ligação, e os banhos de mangueiras, fogueiras, sexo
que vontade de ter um casarão em Santa com quintal para tomar banho de mangueira com quem aparecer!  isto é muito ditoso diria João Ubaldo Ribeiro, eu digo faunico, élfico, e indo para mitologia grega, vamos para as bacantes.
Cronologicamente parece  que estou lendo um roteiro de cinema, mais quase que decupado,
Também devemos abrir  um paralelo a realidade de hoje é diferente daquele momento para arte. No meu entendimento o  aspirante a ator além de atuar, ele deve ter uma visão de produção,  dramaturgia, empresarial para se auto gerir.
Pois naquele cenário dos anos 60 e 70, havia um numero infinitamente menor de artistas e havia também um cenário que corroborava.
Hoje mesmo com a fluidez da informação pelas redes e todas as ferramentas de comunicação há uma avalanche de escolas, um exército de atores com e sem DRT, uma geração que infelizmente, pouco preocupa se com qualidade e quantidade de conhecimento, pois está em folga a celebridade leite ninho dissolve na água e está pronta.
Creio que seja um dos efeito do pós contemporâneo e isso faz com que o artista como eu e muitos igual a mim, que não possui grandiosos trabalhos e conhecido pelo grande público, escrever, produzir, gerir e quando der no meio disso tudo atuar.

Por Pedro Zacarias
 Janeiro/2015Parte superior do formulário
Parte inferior do formulário


sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

3ª edição do Agito Cultural Zona Norte - Abre pré-incrições para os artistas





Ano novo chegou e nossa equipe já está a todo vapor desde o nosso último Agito Cultural Zn 2014, fechando parcerias, confirmando as curadorias, trabalhando intensamente para que possamos realizar a 3ª edição do Agito Cultural Zona Norte, com mais e melhor qualidade para todos.

Estamos iniciando as inscrições dos projetos artísticos para serem selecionados para compor a programação do evento.
Na 2ª edição foram mais de 300 artistas e técnicos envolvidos, mais de 200 atrações, 30 espaços participantes, estimamos mais de 8mil espectadores no final de semana do Agito Cultural 2014, envolvendo peças teatrais para todas as idades, exposições de artes e fotografia, várias mesas literárias, muitas apresentações incríveis de dança, cinema e muitos shows magníficos, em 30 endereços em toda a zona norte de Perus/Anhanguera até Parque Vila Maria, movimentamos toda a imprensa local e da cidade cobrindo e noticiando nossas programações, mas ainda queremos mais, queremos você!

As pré-inscrições começaram hoje pelo e-mail do projeto:
contatoagitoculturalzn@gmail.com 

Mande seu projeto, participe dessa grande celebração a vida!

Curadorias de 2015 

Teatro - Poliana Pitteri
Dança – Roberto Amorim
Música – Agito Cultural Zona Norte
Cinema – Nic Nilson
Literatura – Cintia Alves
Artes Visuais – Caio Santos e Verônica Jorge
Fotografia – Jô Capusso

Coordenação, Conselheiros e Padrinhos
Pedro Zacarias
Amilton Ferreira 
Helô Medeiros
Anselmo Vasconcelos
Alessandra Ferraz
Cely Rodrigues

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Show no Parque da Juventude - 100 anos Saraiva


Show
Não é todo dia que se completa 100 anos de existência. E para comemorar uma data tão significativa, a festa precisa estar à altura. Em 2014, o centenário da Saraiva será celebrado simultaneamente em diversas cidades, e com um grande show em São Paulo. No dia 13 de dezembro, no Parque da Juventude, Titãs e Ana Cañas fazem apresentação gratuita para marcar o dia exato de fundação da Livraria Acadêmica. Os músicos tocarão também com a Orquestra Arte Viva, com regência do maestro Amilson Godoy.
A abertura do show ficará por conta de Zé Vito, vencedor do Prêmio Saraiva na categoria Música. Para o público infantil, serão realizadas oficinas de artes e música, contação  de histórias e muitas brincadeiras.
A festa de 100 anos da Saraiva, porém, não ficará restrita à cidade de São Paulo. Diversas capitais também receberão eventos comemorativos com artistas locais (dessas cidades) com intuito de valorizar a cultura regional. Em Curitiba, o terceiro colocado no Prêmio Saraiva, Rapha Moraes, apresentará repertório do disco La Buena Onda. Adelmo Casé, participante da primeira temporada do programa Fama, comandará o show de Salvador, enquanto Mart’nália faz as honras da edição no Rio de Janeiro. Porto Alegre, Natal, Recife, Fortaleza, Belém e Manaus completam a lista de cidades que participam da celebração.
Confira os shows de 13 dezembro de 2014:
São Paulo – Parque da Juventude
A partir das 14h: atividades para as crianças
A partir das 16h: Titãs, Ana Cañas, Orquestra Arte Viva e Zé Vito


https://www.facebook.com/events/466317630173949


Confira os shows de comemoração dos 100 anos da Saraiva no dia 13 dezembro de 2014:
► São Paulo – Parque da Juventude
► A partir das 14h: atividades para as crianças
► A partir das 16h: TitãsAna Cañas, Orquestra Arte Viva e Zé Vito

Vida minha!

Vida minha!

O palco sempre será o meu espelho.
Uma folha qualquer  e uma caneta, minha forja para os novos textos
Fotografar e ser fotografado a eternitude do meu segundo
Minhas telas meu contemplativo olhar da poesia que há na vida
Minha dança meu grito para o mundo
Meu canto o clamor pela vida que se apresenta
Minha música,  ode ao que de sacro e divino em mim e o meu religar ao etéreo.

Sendo fauno, dragão, alquimista, elfo, pai, jardineiro, homem, menino, filho, marido, amante, companheiro, irmão, amigo, padrinho, tio, sobrinho, ator, artista e tantos outros...

Quero  a beleza
Quero a leveza
Quero a poesia
Vida vasta vida, que os helênicos eu herde a glória eterna

Que lusbeu me presentei com seus maiores galardões em minha coroa e cetro.
Que minha corte seja repleta das mais belas ninfas e faunos e que nela haja todas as musas tenham residência permanente.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Dica de Teatro | Sábado| 29.11 as 21h | Teatro J Safra| Barra Funda


Eis aí um primeiro filho dos dramaturgos do Lá bidê, ao qual tenho o imenso prazer e orgulho de fazer parte e de ter encontrado todos vocês em meu caminho.
Minhas quartas são verdadeiros presentes que a vida tem me presenteado.... Enriquecendo me com conhecimento, este por si só era o bastante, mas estou certo que encontrei pessoas maravilhosas dais quais essas quero levar para minha vida toda!
Que venham mais filhos nossos...
Que os filhos cresçam e deem. frutos e nós nos orgulhemos de nossos filhos e seus frutos!
Juntos podemos, Juntos conseguiremos, Juntos fazemos, Juntos escreveremos, Juntos mudaremos o rumo, Juntos , Juntos...

Dedico este momento primeiramente as mulheres da minha vida da ancestralidade até aqui e especialmente a Silvia Daniela Santos Fasanaro que aguenta o marido mais chato que este país já viu e a minha pequena e linda filha Celine Fasanaro, a maior das obras que eu pude fazer até aqui!
Sem vocês estou certo que não conseguiria fazer nada da minha pequena vida, essa pequena vida de artista, de operário da arte.
Depois agradecer a todos os colegas dramaturgos que de algum modoe não sei quais os motivos me aguentam kkkkk
A Querida e incrível maestrina Cintia Alves, ao mais talentoso e sábio, Anttonio Amoedo, ao guru egipcio e sensivel Jean Caetano, nosso Francisco de Assis, ao caro nobre Frieden Freiheit, ao doce e mais esperto Eduardo Bartolomeu, a elegante, quase Clarice, Janaina SantAna, ao Ead mais presente e com o papo mais interessante Marcus Lago, a Miriam Lima, a destemida e concreta em seus pensamentos. Rogério Favoretto, aquele que preserva o seu texto até a última virgula. Kall Rodrigues, o garoto que ainda não sei o que escrever não conseguimos conversar tanto para e tem a Adelita del Sent, a que ama o titio Silvio a cima de tudo e ela tem uma sócia. S
Se tivermos mais alguém que eu tenha esquecido em por aqui desculpem esse que vos escreve, ele além de um velho, possui dislexia.
Já estou tratando mas ela é muito forte!

Aproveito também o momento para elogiar a iniciativa do Teatro J Teatro J. Safra e toda a equipe de proporcionar e oferecer um projeto tão brilhante como é essa carpintaria de Dramaturgia e a oficina de teatro, que proporciona a produção artistica e o encontro de profissionais incríveis como encontramos.

É bom de bom tom deixar aqui meus elogios ao amigo Maurício Machado que o teatro Teatro J. Safra e toda a sua equipe tenham vida longa e que escrevam uma página na história do teatro na cidade de São Paulo.

Por último e não menos importante ao Edgar Benitez e ao seu elenco que conseguiram milagres artísticos, para levantar o resultado que vocês terão o prazer de conferir neste sábado 29.11 as 21h, estão todos convidados para irem ao teatro e assistirem "Quanto mais preciso de apoio. Mais me surpreende de onde vem..."

Está aí a dica para de teatro para este sábado galerinha....

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Garanta sua vaga em nosso curso de férias de Janeiro 2015.

Garanta sua vaga em nosso curso de férias de Janeiro 2015.
 
- Certificado de conclusão de curso
- Alojamento (vagas limitadas) - R$ 40,00 diária
- Professores de alta qualidade
- Pas-de-deux de Jazz Dance e Ballet de Repertório
- Jazz Dance no Salto
- Técnica Masculina de Jazz Dance
  

E muitas outras novidades...

Um grande abraço,
Equipe Raça.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Mega dica de Shows - Negra Li e Ultraje a Rigor são os destaques do Cultura Livre SP, no Parque da Juventude, dia Divulgação|Foto cedida pela produção, Cultura Livre SP16.11



Realizado pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o projeto comemora três anos de shows gratuitos em parques e praças de São Paulo durante a primavera e o verão. Programação gratuita segue até abril de 2015
Divulgação|Foto cedida pela produção, Cultura Livre SP



Transformar parques e praças em espaços culturais é a marca registrada do Cultura Livre SP, projeto da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo que completa três anos em 2014. Desde que surgiu, em 2011, o projeto já apresentou 592 atrações em espaços públicos da capital, para um público de mais de 650 mil pessoas. Entre os destaques do próximo fim de semana, os shows da cantora Negra Li e da banda Ultraje a Rigor.

As principais atrações de domingo (16.11) se concentram no palco do Parque da Juventude. Para quem quiser passar o dia no parque, a primeira atração é o show “Tudo de Novo”, às 15h, do último álbum da Negra Li. Herdeira da soul music de Tim Maia, Hyldon e Sandra de Sá,  “Tudo de Novo” traz a voz poderosa da cantora embalada por letras melódicas e institivas, que a própria cantora define como “falas emocionais”. O público pode esperar por um show fresco com ares de nostalgia. No repertório, canções como “Hoje eu só quero ser feliz”, “Não vá” e “Culto de Amor”, composição de Edgar Scandurra.

No fim da tarde, às 17h, o Cultura Livre SP recebe um dos grupos que marcou o rock nacional nos anos 80, Ultraje a Rigor, com show que reúne os 20 anos de estrada da banda. No repertório, sucessos consagrados que firmaram o estilo irônico das letras e do som, como “Pelado”, “Nós Vamos Invadir sua Praia” e “Eu gosto é de Mulher”, até canções mais românticas, como “A Festa”.
Divulgação|Foto cedida pela produção, Cultura Livre SP

Antes, na sexta-feira (14.11), a cantora Roberta Espinosa se apresenta na Praça da Esperança do Hospital das Clínicas, com o show Homenagem à Tropicália. A carioca, que já se apresentou ao lado de Elza Soares, apresenta a Tropicália com a modernidade e as misturas rítmicas que caracterizam o seu trabalho. No espetáculo, ritmos como baião, samba e soul não ficam de fora em releituras de clássicos como “Wave”, “Menino das Laranjas”, “O Morro não tem vez” e “Garota de Ipanema”.

Depois, na quarta-feira (19.11), o Cultura Livre SP fecha a programação desta semana com o show “Um Passeio pela Benedito Calixto”, de Vitor Lopes e Chorando as Pitangas, às 12h30, também na Praça da Esperança, em frente ao Hospital das Clínicas. Tendo como fonte de inspiração a mais charmosa feira de antiguidades e artesanato de São Paulo, o trabalho é uma homenagem aos artistas populares que dão vida à praça. Com um repertório sofisticado e variado executado com precisão e delicadeza, o Chorando as Pitangas traz um sopro de novidade ao universo da música instrumental brasileira

As apresentações do Cultura Livre SP, todas gratuitas, ocorrem aos domingos no Parque da Juventude, Ecológico do Tietê e Villa Lobos, e às sextas na Praça da Esperança do Hospital das Clínicas. A programação completa está no www.culturalivre.sp.gov.br. O projeto é realizado em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente, Secretaria da Saúde e com a Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos, executado pela APAA - Associação Paulista dos Amigos da Arte. 

Sexta (14.11)
Praça da Esperança do Hospital das Clínicas
12h30 - Homenagem à Tropicália com Roberta Espinosa (música)

Domingo (16.11)
Parque da Juventude
15h - Tudo de Novo - Negra Li (música)
17h - Ultraje a Rigor (música)

Quarta-feira (19.11)
Praça da Esperança do Hospital das Clínicas
12h30 – “Um Passeio pelo Benedito Calixto” - Chorando as Pitangas (música)


Cultura Livre SP
Data: De 12 de outubro a 14 de dezembro

Parque Villa Lobos (Zona Oeste)
Endereço: Avenida Professor Fonseca Rodrigues, 2001, Alto dos Pinheiros

Praça da Esperança do Hospital das Clínicas (Zona Oeste)
Endereço: Rua Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 255, Cerqueira César
  
Parque da Juventude (Zona Norte)
Endereço: Av.. Zachi Narchi, 1309 – Santana

Parque Ecológico do Tietê (Zona Leste)
Endereço: Rua Guirá Acangatara, 70, Cangaíba
Acessos: pelo km 17 da Rodovia Ayrton Senna sentido SP/RJ), Av. Dr. Assis Ribeiro (altura do número 3.000) e Via Parque (marginal direta da Rod. Ayrton Senna)


Assessoria de Imprensa
Luciana Branco Comunica